Mostrar mensagens com a etiqueta alimentação. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta alimentação. Mostrar todas as mensagens

Dieta vegetariana reduz o risco de morte por doença cardíaca em 40%


Nas últimas décadas, o número de estudos que liga a alimentação vegetariana à melhoria da saúde em geral aumentou. Desde o risco reduzido de obesidade, diabetes tipo 2 e síndrome metabólica, uma dieta à base de plantas pode até mesmo proteger-nos de vários tipos de cancro. O coração também não é deixado de fora, como apontam vários relatórios.

Alimentação vegetariana: O que tenho na despensa


É a pergunta que não se quer calar: afinal, o que comem os vegetarianos? Como conseguem eles suprir todas as necessidades nutricionais sem sacrificar o sabor? Não será uma alimentação totalmente vegetal demasiado restrita e limitada?

Numa sociedade que centra a sua alimentação nos produtos de origem animal, é normal a dúvida imperar: afinal, estamos a falar de uma mudança considerável dos nossos hábitos. Para além disso, estamos tão acostumados a olhar para os produtos de origem animal como parte essencial da nossa alimentação que acabamos por esquecer a riqueza do universo vegetal, tanto a nível nutricional como de qualidade e de quantidade.

Quando não quis mais comer animais também fui assaltada por essa incerteza: o que vou passar a comer? Não estava de todo informada, o que pressionou-me a continuar a consumir algum peixe, queijo e ovos. Se, nessa altura, soubesse daquilo que sei hoje, tinha deixado de comer qualquer produto de origem animal sem pensar duas vezes. Isso mostrou-me como nos informarmos devidamente é muito importante.

Não posso falar por todos os vegetarianos que existem no mundo, já que a alimentação de cada um é diferente, mas posso falar por mim e mostrar aquilo que como. Por isso, deixo a lista de alimentos e de produtos básicos que costumo ter na minha despensa (e no frigorífico).

A título de curiosidade, existem cerca de 200 mil espécies de plantas comestíveis e das quais só 0,06% são usadas por nós. A Natureza é-nos generosa e, mesmo assim, preferimos continuar com um sistema cruel e insustentável que mata biliões de animais todos os anos.

Vegetarianismo, gravidez e amamentação | De Verde em Poupa


Maria. Mulher, enfermeira e mãe. Substantivos que conseguem encontrar a serenidade necessária para tornar o caos em estrelas. A dor em amor, as pedras lançadas em castelos.
Para além de mulher, enfermeira e mãe, a Maria ainda tem um tempinho para divulgar uma visão mais compassiva do mundo através da alimentação. No seu blogue, De Verde Em Poupa, escreve sobre as maravilhas dos alimentos vegetais e como estes são a chave para uma vida mais feliz e saudável. Por tudo isso, não podia deixar de a convidar a partilhar as suas considerações sobre o vegetarianismo na gravidez e amamentação, desconstruindo certos mitos pelo meio. Quem melhor para o fazer do que alguém com experiência própria?

Calendário da horta: As frutas e legumes que devemos plantar em cada mês


Se são interessadas/os no ambiente, quase de certeza que já conhecem o Uniplanet. Este maravilhoso portal aborda os mais variados temas relacionados e interligados com os direitos da Natureza, desde ecologia, veganismo, desperdício zero, sustentabilidade, minimalismo e agricultura biológica. Para além disso, tem um grupo de leitura e vai criar uma horta biológica comunitária na zona de Coimbra. Como podem ver, é um projecto inspirador 💚

“Como evitar défices nutricionais numa dieta de base vegetal”, de Sandra Gomes Silva


A Sandra Gomes Silva, autora deste indispensável guia, é nutricionista e co-autora de três manuais sobre alimentação vegetariana na infância e na idade escolar e que foram lançados pela Direcção-Geral da Saúde. Também é criadora do site O Vegetariano, o qual aconselho vivamente que visitem por ter imensas informações importantes e receitas saudáveis e que em nada sacrificam os sabores que mais gostamos.

10 alimentos vegetais que deixam o cabelo maravilhoso


Penso que ter um cabelo forte, bonito e saudável é um desejo comum de todos nós. Afinal, o cabelo é a moldura do nosso rosto e um espelho da nossa saúde, que ainda tem de enfrentar factores como o stress, frio, calor, vento, poluição e má alimentação – e é precisamente nesta última condição que me vou focar.
Não foi Hipócrates que disse “Que o remédio seja o teu alimento e que o alimento seja o teu remédio”? Porque não incluir isso na saúde dos nossos cabelos, em vez de massacrarmos a nossa cabeça e o nosso dinheiro com um milhão de cosméticos e de suplementos? Obviamente que há casos que precisam de uma ajuda extra, mas é importante não nos descuramos na alimentação. Vejam esta lista com dez alimentos amigos do cabelo e incluam alguns nas vossas refeições.

Como fazer tofu em casa


O tofu é um alimento obtido a partir da soja, com um processo semelhante ao queijo de origem animal: precisamente por isso é também designado por queijo de soja. De origem chinesa, começou a ser produzido há mais de 2000 anos. Actualmente, é consumido um pouco por todo o mundo e tornou-se num alimento básico da alimentação vegetariana, tanto pelas suas qualidades nutricionais como por ser bastante versátil. Tem um sabor muito suave e absorve facilmente qualquer tempero, o que faz dele um ingrediente ideal para inúmeras receitas. Também tem a vantagem de ser melhor digerido do que os grãos e o leite de soja.

Só nos EUA, substituir produtos de origem animal por dieta totalmente vegetal alimentaria mais 350 milhões de pessoas


São vários os estudos que revelam a contribuição de uma alimentação totalmente vegetal para uma distribuição mais justa dos alimentos, sendo o mais recente do Weizmann Institute of Science, de Israel. Este estudo aponta que, se substituíssemos todos os produtos de origem animal na nossa alimentação por produtos de origem vegetal com um valor nutricional semelhante, teríamos capacidade para alimentar centenas de milhões de pessoas.

Sites de culinária vegetariana que sigo e recomendo

A transição de uma alimentação omnívora para uma alimentação vegetariana é, muitas vezes, feita a passos de bebé: é normal ter dúvidas, é normal não saber o que comer, é normal não saber o que cozinhar. Tudo isso é normal, pelo que decidi listar alguns blogues que, com certeza, ajudarão quem está à procura de uma alimentação sem sofrimento.
 

Sigo mais sites do que estes, mas se incluísse todos nunca mais saíamos daqui, pelo que escolhi os que costumo visitar mais vezes.

E-book de culinária vegetariana: Alternativas vegetais aos ovos, leite, gelatina e mel


Cozinhar sem leite, ovos, gelatina e mel? Sim, é completamente possível! Seja como agente de crescimento, de ligação, ou até mesmo para adoçar, existem bastantes ingredientes 100% vegetais que fazem o mesmo trabalho e que não interferem na qualidade e sabor dos pratos.

Neste e-book encontrarão dezenas de alternativas de origem vegetal para todos esses produtos de origem animal, assim como informações importantes, comparação de doses e algumas receitas de fazer água na boca. Vejam como podem fazer panquecas sem ovos, cheesecake sem gelatina, entre outras delícias sem crueldade, e abracem o lado verde da força


Proteína animal excessiva poderá ser tão prejudicial quanto fumar


Quando no séc. XIX o químico Gerhardus Mulder descreveu a proteína, este nutriente passou a ser considerado o mais importante de todos na manutenção da vida. O próprio nome escolhido para baptizar a nova substância reflecte essa importância, derivado do termo grego “proteios”, que significa “de importância primordial”. Sendo praticamente sinónimo de carne, essa centralidade na proteína e nos produtos animais prevaleceu até aos dias de hoje. Não é incomum ainda existirem receios de um consumo insuficiente de proteína na sua forma animal.

“Não posso tornar-me vegetariano porque não gosto de vegetais”


Algumas pessoas têm relutância em fazer uma transição alimentar totalmente vegetal porque não gostam desta verdura ou daquela leguminosa: o receio de que a mudança para uma dieta vegetariana fique, por causa desses desgostos, demasiado restrita acaba por tornar-se num obstáculo que, inicialmente, achamos impossível de contornar.
Foi o que aconteceu comigo: quando resolvi parar de comer animais a primeira dúvida que me surgiu foi E agora? Como vou fazer isto se não gosto de 99,9% dos alimentos que existem neste glorioso planeta?